2005/05/17

Coletes e a PSP

No Portugalmail está esta notícia sobre a recusa dos agentes da PSP em usarem coletes anti-balas por serem muito pesados.
Bem que um amigo me tinha dito, "dêem-lhes coletes que não tarda estão a resmungar que são pesados". Pois, tinha razão.
Dizia-me ele que isso de comprar coletes para a polícia era uma falsa questão. E ele sabe do que fala. Esteve na missão de pacificação em Timor e era forçado a usar colete e a fazer com que os subordinados o usassem. Os coletes são pesados e desconfortáveis. São quentes para usar no Verão. Se a polícia tivesse coletes para todos os agentes usarem, dizia-me ele, era certo que a grande maioria quando pudesse os tiravam. É difícil trabalhar com o colete posto. E é realmente muito pesado e praticamente impossível carregá-lo um dia inteiro de trabalho.

4 comentários:

Segundavida disse...

Realmente os que existem na Polícia Portuguesa são muito pesados, são especificos para intervenções pontuais de alto risco. Agora sei que existem outros, em carbono, muito mais leves e são próprios para usar em patrulhamentos (os que a polícia americana usa)normais. Alguns agentes portugueses já os compraram a custo próprio. Um abraço.

inconfidente disse...

Mas ao menos era uma opção deles....se queriam correr riscos, corriam por conta própria.

BSR disse...

#segundavida#:não tenho a certeza mas penso que os coletes da PSP sejam iguais aos do exército, que são de Kevlar e pesam à volta de 12 Kilos. E são esses "leves" que o meu colega militar diz ser impossível usar durante um dia.

#inconfidente#:Sim, mas era uma despesa monstruosa para o estado estar a investir tanto dinheiro (os coletes são bastante caros) em algo que não aumentaria a eficácia da PSP. Não seria mais útil gastar dinheiro a renovar as viaturas e as armas, que são do séc. passado?

Rui Dias disse...

São mesmo pesados, decerto nunca puseste nenhum ao lombo. Que tal uma patrulha com 23 quilinhos em cima, mais a arma?
Ah, os tais pequenos, leves e de carbono, têm de ser comprados pelo próprio agente e sem qualquer comparticipação e custam entre os 750 e os 1500 euros. Não sou polícia, mas não queria ser.